Pub
Pub
artigo
imprimir

O que é a narcolepsia?

Narcolepsia, a «doença do sono». Faz com que as pessoas adormeçam de repente, a meio de uma atividade normal. Será «coisa de filme» ou da vida real? Continue a ler, neste artigo contamos-lhe tudo.

A narcolepsia é uma doença do sistema nervoso. É bem real e afeta os ciclos de sono e vigília. As pessoas com narcolepsia têm normalmente muita sonolência durante o dia. Além disso, a principal característica é poderem adormecer a todo o momento, a meio de qualquer atividade.

Entender a narcolepsia

«Narco-» significa «sono» ou «torpor». Já a parte final da palavra, «-lepsia», vem do grego «-lepsis». Significa «ataque». Ou seja, a narcolepsia caracteriza-se principalmente por «ataques de sono» que a pessoa não consegue controlar.

 

É um dos principais distúrbios do sono. Os outros distúrbios são:

 

  • insónia
  • apneia obstrutiva crónica
  • síndrome das pernas inquietas

 

Sintomas

 

A narcolepsia é uma doença altamente incapacitante. Isto porque, de repente e sem controlo, a pessoa entra diretamente na fase mais profunda do sono. Ou seja, do nada, está a dormir profundamente. Os principais sintomas são:

 

  • sonolência diurna excessiva – mesmo quando se dorme bem durante a noite. Pode causar uma vontade incontrolável de dormir. Além disso, leva a dificuldades de concentração, perda de memória e a uma sensação de exaustão ou depressão.

 

  • cataplexia – é uma falta de controlo sobre os músculos. Pode ir desde dificuldades na fala a um colapso total do corpo. Emoções fortes como rir às gargalhadas, sustos, surpresas ou excitação extrema podem levar à cataplexia.

 

  • alucinações – podem ocorrer a qualquer altura e são normalmente muito vívidas.

 

 

  • perturbações do sono – dificuldade em manter um sono constante durante a noite devido à ocorrência de sonhos vívidos, problemas respiratórios ou movimentos involuntários do corpo.

 

  • comportamentos automáticos – muitas vezes, as pessoas com narcolepsia adormecem enquanto comem ou conduzem. Mas continuam a realizar essa atividade sem terem consciência de que o estão a fazer.

 

Todos estes sintomas ocorrem durante as atividades do dia a dia. Por isso, têm um grande no doente no ambiente de trabalho, na escola ou em momentos familiares e sociais.

 

Apesar de a doença em si não ser fatal, pode ser muito perigosa e levar à morte. Afinal, se a pessoa adormecer enquanto conduz ou opera maquinaria pesada, pode causar acidentes muito graves.

 

Um dos principais problemas é o facto de esta ser uma doença rara, da qual se conhece pouco. Por isso, não só há pouca informação como falta de diagnóstico. O que leva a que muitas pessoas com narcolepsia não recebam tratamento.

 

Causas

 

Ainda não se sabe o que causa a narcolepsia. Sabe-se que acontece porque o cérebro não é capaz de controlar os ciclos de sono e vigília. No entanto, ainda não se descobriram os porquês.

 

Ainda assim, sabe-se que afeta a todos os géneros por igual. É normal manifestar-se entre os 15 e os 25 anos, mas pode ocorrer a qualquer idade. Pessoas com história familiar de narcolepsia têm 20 a 40 vezes mais probabilidade de vir a ter a doença. Daí que se acredite que possa ter uma componente genética.

 

Ainda, regra geral, os episódios podem ser espoletados por períodos de privação de sono ou de muito stresse. Outros fatores que podem levar ao aparecimento da narcolepsia são:

 

artigo

Será que devo fazer uma consulta do sono?

Tratamento

 

Não existe tratamento para a narcolepsia. No entanto, podem adotar-se algumas medidas para controlar os sintomas:

 

Mudanças do estilo de vida:

  • evitar cafeína, álcool e nicotina
  • comer refeições ligeiras ao longo do dia, principalmente à noite
  • ter um horário regular para dormir, incluindo ao fim de semana
  • dormir sestas programadas de 10-15 minutos ao longo do dia
  • praticar exercício físico de forma regular

 

Prescrição de medicamentos, se o médico assim considerar:

  • estimulantes para tratar a sonolência
  • antidepressivos para evitar a cataplexia

 

A narcolepsia é uma doença rara, mas afeta muito a vida de quem tem a doença. A falta de conhecimento sobre a doença leva muitas vezes à falta de diagnóstico e tratamento. No entanto, cada vez mais se está a olhar e investigar este tipo de doenças. Por isso, se tem ou conhece alguém com alguns destes sintomas, procure especialistas do sono. Ainda não exista uma cura, vai ser  possível melhorar os sintomas e a qualidade de vida.

 

Por fim, junte-se à comunidade Cardio 365º!

Referências
  • WebMD

  • OFFARM

  • Healthline

  •  

artigo
imprimir
anterior seguinte