Pub
Pub
artigo
imprimir

A influência do stresse na saúde do coração

O stresse prejudica as saúde cardiovascular? E se sim porquê? Eis uma pequena análise do seu potencial impacto na saúde em geral e na saúde do coração, bem como algumas dicas que podem ajudar a controlá-lo!

Nos dias que correm, a sociedade e os locais de trabalho colocam um nível incomparável de pressão sobre as pessoas. Uma maior carga de trabalho, bem como as expectativas crescentes sobre o desempenho e a conciliação da vida laboral, familiar e pessoal estão entre as principais causas de stresse que hoje sentimos.

 

O stresse atinge todos os grupos sociais e todas as categorias de idade. No entanto, algumas pessoas são mais afetadas pelas suas consequências, com impacto para a saúde mental e física. E estas são consequências que deve manter debaixo de olho!

O que é o stresse?

O stresse é uma sensação negativa de tensão física ou emocional provocada por um factor, evento, ou pensamento desafiante (como, por exemplo, um perigo, uma incerteza, uma responsabilidade, um conflito). É considerado una resposta normal diante estímulos externos que proporcionam desafios. Evolutivamente, o stresse tem servido o propósito de garantir uma resposta rápida perante situações de perigo real ou potencial. E no dia a dia é útil, por exemplo, para garantir o cumprimento atempado de prazos e tarefas.

 

Em síntese, podemos dizer que o stresse, como sensação pontual, é funcional e positivo, mas torna-se negativo quando faz parte da nossa vida de forma contínua (o chamado stresse crónico). Problemas económicos, conflitos laborais ou conjugais são fontes típicas de stresse crónico, um tipo que persiste mesmo na ausência ou resolução do factor stressante é chamado ansiedade.

O impacto do stresse na saúde do coração

O stresse impacta o corpo estimulando a produção de hormonas, principalmente adrenalina e cortisol, que desafiam o cérebro, os músculos e a pressão arterial a trabalhar de uma forma mais rápida e mais intensa. Todavia, este estímulo contínuo sem que haja uma real necessidade de «estar alerta» pode impactar negativamente a saúde. Isto é, pode causar:

 

  • Dores de cabeça;
  • Tensão muscular;
  • Pressão alta;
  • Dor no peito;
  • Palpitações cardíacas;
  • Erupções cutâneas;
  • Disfunções sexuais e reprodutivas;
  • Perda de sono.

 

Em particular, o stresse é prejudicial para a saúde cardiovascular de 3 maneiras:

 

  • O coração bate mais rápido para fazer chegar oxigénio aos músculos. Assim sendo, a pressão arterial sobe. Um coração sob esforço prolongado é um coração com um maior risco de ataque cardíaco.

 

  • O stresse provoca uma diminuição dos níveis de colesterol «bom» (HDL), e aumento dos níveis de colesterol «mau» (LDL) o que promove a aterosclerose e aumenta, consecutivamente, o risco cardiovascular.

 

  • É frequente tentar gerir o stresse crónico com comportamentos de risco: consumo acrescido de álcool, tabaco e outras substâncias nocivas para a saúde cardiovascular e, ademais, potencialmente aditivas.

 

artigo

19.

Quais os sintomas do enfarte do miocárdio?

Como reconhecer e gerir o stresse

Não é possível evitar o aparecimento de fatores stressantes, mas é possível melhorar a gestão pessoal do stresse e prevenir o aparecimento de condições cónicas. Em primeiro lugar, é necessário reconhecer potenciais sinais de stresse. Entre os mais comuns:

 

  • Dores de cabeça;
  • Falta de concentração e energia;
  • Tensão no peito, mandibula ou pescoço;
  • Interferências no ciclo do sono;
  • Uso de álcool e drogas para relaxar.

 

Em segundo lugar, é aconselhado desenvolver hábitos saudáveis. Indivíduos mais saudáveis estão mais preparados para dar resposta ao stresse. São exemplos de hábitos saudáveis a/o:

 

  • Prática de atividade física regular;
  • Alimentação saudável;
  • Redução da cafeína, álcool e de outras substâncias aditivas;
  • Convívio com amigos e familiares;
  • Prática de atividades de lazer (ler um livro, ouvir musica)
  • Exercício de técnicas de relaxamento como, por exemplo, o controlo da respiração e a meditação.

 

É uma boa ideia contactar um profissional de saúde se não conseguir desenvolver hábitos saudáveis, ou se sentir que o stresse continua a ter muito impacto na sua vida. É recomendado contactar um profissional também no caso de ter sintomas de stresse extremo, quais pânico, tonturas ou batimento cardíaco acelerado constante.

 

 

Junte-se à comunidade Cardio 365º!

artigo
imprimir
anterior seguinte