Pub
Pub
artigo
imprimir

O que é a paralisia do sono?

Se alguma vez ouviu falar de paralisia do sono sabe que pode ser uma experiência assustadora com relatos dignos de um filme de terror. Mas a verdade é que é um fenómeno dissociativo do sono muito comum e com claras explicações fisiológicas. Aprenda aqui generalidades, fatores de risco e prevenção.

A paralisia do sono é um distúrbio do sono de tipo dissociativo caracterizado pela paralisia fisiológica dos músculos – típica do sono REM – que ocorre num momento de transição entre o sono e o acordar.

 

O sono REM (Rapid Eye Movement) é a fase do ciclo do sono em que ocorrem os sonhos. A intensa atividade cerebral é contrabalançada pela paralisia dos músculos, que serve para evitar que o corpo faça movimentos descontrolados (e potencialmente perigosos) durante essa fase do sono. A paralisia deve-se a um prolongamento excessivo da fase do sono REM ou ao seu início precoce. Isto faz com que o sujeito se sinta acordado, mas paralisado na capacidade de se mover ou falar. O fenómeno pode durar alguns segundos a vários minutos antes de cessar espontaneamente.

Porque é que a paralisia do sono é um fenómeno assustador?

É comum a paralisia do sono ser associada a uma sensação de medo intenso devido à paralisação ou à sensação de alucinação que, por vezes, acompanha os episódios de paralisia do sono. Um exemplo clássico é a sensação de não estar sozinho no quarto, ou até de ter uma presença ameaçadora sobre o peito que dificulta a respiração. A pressão no peito é uma sensação comum associada que se deve ao facto de o corpo adotar um padrão de respiração típico do sono REM. As alucinações e sensações de presença são um fenómeno de dissociação adicional conhecido desde os tempos antigos. Hoje em  dia, pensa-se que estas «alucinações» estejam associadas à da amígdala, no cérebro, também responsável por controlar a ansiedade e o medo.

Quais os fatores de risco?

Um estudo diz-nos que até 40% das pessoas experimentam esta paralisia pelo menos uma vez na vida. No entanto, a maioria refere-se ao episódio como «um pesadelo». Para uma minoria de pessoas, a paralisia repete-se com mais frequência e, muitas vezes, se não sabem do que se trata, relatam uma grande angústia que afeta as suas vidas. As pessoas mais suscetíveis tendem a dormir pouco e mal. De facto, um ritmo irregular de sono-vigília, privação de sono, stresse e depressão são fatores de risco para paralisia. Além disso, a paralisia do sono é um dos sintomas da narcolepsia.

Como se pode prevenir?

Visto que, muitas vezes, quem dorme pouco e mal se queixa de paralisia do sono, pode ser suficiente restabelecer hábitos noturnos de acordo com o que o corpo pede: cerca de 6 a 8 horas de sono. Assim sendo, o primeiro passo é dormir um número adequado de horas. Além disso, é igualmente essencial ir para a cama e acordar sempre à mesma hora, ou seja, ter um padrão de sono regular.

 

Além disso,, há evidências que mostram que a maioria dos episódios de paralisia do sono ocorre quando o indivíduo está deitado de costas. Caso sofra com este distúrbio do sono, tente dormir de lado ou de barriga para baixo.

artigo

95.

Será que devo fazer uma consulta do sono?

Por fim, junte-se à comunidade Cardio 365º!

 

Além disso, já conhece o nosso website Diabetes 365º?

artigo
imprimir
anterior seguinte