Pub
Pub
artigo
imprimir

Dificuldade em dormir: um sinal de problema?

Algumas pessoas não têm problemas em adormecer. No entanto, para outros, adormecer ou dormir uma noite seguida não é um processo fácil. Descubra aqui as principais causas da dificuldade em dormir.

Algumas pessoas não têm problemas em adormecer: depois de dobrarem as cobertas e apagarem a luz, o sono flui naturalmente e dura até de manhã. No entanto, para outros, a dificuldade em dormir é real: adormecer, ou dormir uma noite seguida, não é uma atividade natural.

Porque é tão importante dormir? 

Dormir bem é fundamental para uma boa saúde e uma boa qualidade da vida. O nosso organismo precisa do descanso noturno para manter e regenerar as suas funções biológicas. Pelo contrario, a ausência de sono pode provocar impactos negativos na concentração, aprendizagem, memória e humor.

 

A dificuldade em dormir pode ser um problema ocasional quando o sintoma ocorre por um curto período de tempo. A dificuldade em dormir é designada insónia quando se manifesta por um longo período de tempo. A insónia é um distúrbio o que tem impacto negativo sobre a saúde geral e saúde do coração.

 

A dificuldade em dormir é muitas vezes relacionada com causas especificas; é importante tentar perceber se a dificuldade em dormir é um sinal de outra doença ou condição física do indivíduo ou se, pelo contrario, advém de fatores não biológicos facilmente modificáveis, quais hábitos e rotinas.

Dificuldade em dormir e estado de saúde

A dificuldade em dormir é comum em pessoas que sofrem de distúrbios do humor como a ansiedade e depressão. Os distúrbios do humor alteram a arquitetura do sono e o relógio biológico do organismo e fazem com que o sujeito tenha dificuldade em adormecer e um sono fragmentado e pouco restaurador. Os distúrbios do humor podem causar problemas de sono e, por sua vez, os problemas de sono podem fazer com que o distúrbio do humor fique mais grave. Para algumas pessoas, os sintomas depressivos ocorrem antes do início de um distúrbio do sono; para outras acontece o oposto.

 

Alterações hormonais importantes como a menopausa e gravidez podem também estar na origem da dificuldade em dormir. A menopausa é um período da vida da mulher que coincide com a perda da função ovárica. As complexas mudanças hormonais que ocorrem aí podem ter um impacto no sono: entre 28% e 64% das mulheres em menopausa relatam ter vivenciado dificuldades em dormir. As alterações fisiológicas proporcionadas pela gravidez podem também ser causa da dificuldade em dormir. Em particular, durante o primeiro trimestre, o aumento do nível de progesterona e estrogénio pode desregular o ritmo circadiano do organismo.

 

artigo

81.

Dormir bem dos 8 aos 80 anos

Dificuldade em dormir e determinantes externos

A dificuldade em dormir advém muitas vezes de fatores não biológicos: eventos stressantes ou hábitos/rotinas inimigos do sono.

 

Um evento stressante, como, por exemplo, um período de intenso stresse laboral (mas também um conflito, um período de incerteza ou de mudança) pode provocar dificuldade em dormir por causa da libertação das hormonas cortisol e adrenalina, inimigas do sono. Nesse caso a dificuldade em dormir será de tempo limitado e será resolvida com a resolução do evento stressante.

O papel da alimentação e do exercício físico

A relação entre sono e alimentação está cientificamente provada. O consumo de alimentos fritos ou que requerem um processo digestivo complexo pode levar a dificuldades em adormecer ou provocar despertares noturnos. Da mesma forma, bebidas ricas em teína e cafeína não são aconselhadas da parte da tarde, pois podem prolongar os seus efeitos excitantes mesmo na primeira parte da noite. O álcool também deve ser evitado pois, embora possa promover o adormecimento, compromete a continuidade do repouso.

 

Ainda que a prática de atividade física seja essencial, é importante saber que treinar na segunda parte do dia pode causar dificuldades em dormir. Isso acontece porque a realização de atividade física pode estimular a produção de adrenalina e outras hormonas excitantes que permanecem em circulação alterando momentaneamente os ritmos sono-vigília. Para evitar esses efeitos sugere-se a prática de atividade física no início da manhã ou no início da tarde. Ao mesmo tempo, é importante lembrar que quem pratica atividade física normalmente dorme melhor do que quem leva um estilo de vida mais sedentário.

 

Caso esteja a ter dificuldades em dormir tente modificar os seus hábitos de alimentação e atividade física. Se as suas dificuldades persistirem, contacte um profissional da saúde para verificar se a sua dificuldade em dormir está relacionada com uma alteração do seu estado de saúde fisiológico ou psicológico.

 

E continue sempre a acompanhar-nos aqui, juntando-se à comunidade Cardio 365º!

Referências
  • Anxiety and Depression Association of America (ADAA)

  • Sleep Foundation

  • Hachul, L et al. (2009).

artigo
imprimir
anterior seguinte