Pub
Pub
artigo
imprimir

O desporto pode aumentar o risco cardiovascular?

As doenças cardiovasculares continuam a ser a principal causa de morte na população portuguesa. Uma das formas de as prevenir é a prática do exercício físico. Mas será que o desporto pode aumentar o risco cardiovascular? Hoje vamos aprofundar este tema.

O papel do desporto na prevenção das doenças cardiovasculares é reconhecido de forma unanime. Para alguém que tenha uma doença cardiovascular, o desporto regular, com exercícios adequados à doença de base, tem um papel essencial, fazendo parte de uma terapêutica multifacetada. Esta inclui a cessação tabágica, redução dos níveis de colesterol, manutenção do peso e controlo da tensão arterial.

Desporto no doente cardíaco

O desporto no doente cardíaco depende muito da avaliação prévia do risco e da capacidade funcional do doente. Doentes com baixo risco cardiovascular e sem história de eventos agudos, tal como a população em geral, podem fazer o exercício físico normalmente. Mas mesmo nos doentes com elevado risco cardiovascular o desporto é benéfico. Isto não só ao nível da capacidade funcional para as atividades da vida diária e para combater a depressão própria.

 

Os princípios gerais do desporto para os doentes consistem em:

 

  • não ultrapassar os limiares de risco definidos em provas de esforço e outros exames;
  • evitar subidas da tensão arterial;
  • ser feito sempre feito sob a medicação habitual;
  • não permitir stresse competitivo;
  • monitorizar a intensidade.

 

Sinais de alarme

Deve parar de fazer exercício físico imediatamente perante:

 

  • Dor no peito;
  • Fraqueza;
  • Tonturas ou sensação de desmaio;
  • Pressão ou dor no peito, pescoço, braço, mandíbula ou ombro.

 

6 cuidados a ter para quem faz desporto

  • Iniciar a prática de desporto, sempre com aconselhamento médico;
  • Aquecer sempre antes de iniciar o treino e fazer alongamentos quando terminar
  • Começar gradualmente e ir aumentando um pouco a duração do treino a cada semana que passa;
  • Não fazer exercício físico logo a seguir às refeições;
  • Evitar fazer exercício físico ao ar livre quando a temperatura está muito elevada ou muito baixa;
  • Hidratar-se bem.

 

artigo

150.

O que comer antes e depois do exercício físico

Mas afinal fazer deporto pode aumentar o risco cardiovascular?

Regra geral, o desporto não está associado ao aumento do risco cardiovascular, estando mesmo indicado para prevenir o aparecimento de várias doenças cardiovasculares. Apesar disso, em atletas de alta competição, o desporto pode estar associado ao aumento do risco cardiovascular. O coração não é nada mais nada menos do que um músculo. Como qualquer outro músculo, quando estimulado, este desenvolve-se. Ora, com a frequência e intensidade de treino dos atletas de alta competição, o coração vai desenvolver-se muito, ou seja, via ficar hipertrofiado.

 

A hipertrofia cardíaca está relacionada com o acontecimento de várias doenças cardíacas, principalmente uma designada por miocardiopatia, que pode levar a morte súbita. Por este motivo, está indicada, para os atletas de alta competição, a realização de exames, como o electrocardiograma, ecocardiograma ou prova de esforço, com o intuito de vigiar o funcionamento do coração.

 

Em resumo, o desporto está geralmente associado a diminuição ou prevenção do risco cardiovascular. No entanto, nos atletas de alta competição, o desporto pode aumentar o risco cardiovascular. Por este motivo, é muito importante a vigilância no seu médico de família, que lhe pedirá todos os exames necessário para a prevenção do aparecimento de doenças cardiovasculares.

 

Por fim, junte-se à comunidade Cardio 365º!

Referências
artigo
imprimir
anterior seguinte