Pub
Pub
artigo
imprimir

Como se forma a placa de ateroma?

A placa de ateroma é a responsável pela aterosclerose, que por sua vez pode levar a problemas graves como o AVC ou enfarte. Explicamos como se forma esta placa e o que a constitui.

A aterosclerose é por vezes chamada «endurecimento arterial» e ocorre quando gordura (sob a forma de colesterol) e cálcio se depositam na parede interna de uma artéria, formando uma chamada placa de ateroma. Com o passar de tempo, esta placa de ateroma vai reduzindo o diâmetro do interior da artéria, podendo bloquear o fluxo sanguíneo.

Como se forma a plaque de ateroma?

Embora o processo de formação ainda não esteja completamente compreendido, estão descritos 3 estádios de aterosclerose que levam ao fecho das artérias. Estes estádios não ocorrem necessariamente por ordem nem se observa uma progressão linear.

 

A acumulação de gordura

 

Começa a observar-se uma linha de gordura amarelada ao longo das paredes das artérias principais, como a aorta. Esta «linha» consiste em depósitos de colesterol, linfócitos e outros compostos. Esta característica por si não causa quaisquer sintomas de doença cardíaca.

 

Formação de placas

 

As placas de ateroma começam a formar-se na camada interna da artéria. Estas placas são constituídas por colesterol, cálcio, linfócitos (glóbulos brancos) e outras substâncias. Com o passar do tempo, a placa diminui o diâmetro da artéria e a parede da mesma torna-se mais rígida.

 

A acumulação desta placa pode vir a reduzir o fluxo sanguíneo do músculo cardíaco, o que pode causar sintomatologia de angina de peito. Quando a placa de ateroma se forma na artéria carótida pode bloquear o fluxo sanguíneo e causar um acidente isquémico ou enfarte.

 

Estabilidade da placa de ateroma

 

As placas de ateroma são classificadas com base no risco de rutura que apresentam. Uma placa estável tem uma menor probabilidade de rutura, pois apresenta uma parte fibrosa e grossa. A placa de ateroma instável é formada por gordura que consegue expandir e causa inflamação, promovendo a rutura da mesma.

 

Bloqueio arterial

 

Este bloqueio acontece quando a placa de ateroma sofre uma fissura. A rutura expõe o colesterol e o tecido que estava no interior da placa e formam-se coágulos sanguíneos em resposta a este evento. Os coágulos viajam então na corrente sanguínea e podem provocar enfarte ou AVC.

 

O tratamento para a aterosclerose pode assim evitar este culminar do problema crónico. Esta prevenção pode passar por mudanças de estilo de vida como a cessação tabágica, alimentação equilibrada e exercício físico regular. Os fatores mais importantes são o controlo da pressão arterial (tensão) e do colesterol (principalmente LDL) através de medicação adequada, especialmente para quem sofre de hipercolesterolemia hereditária, na qual as mudanças de estilo de vida não surtem impacto nos valores de colesterol.

 

Acima de tudo, é importante não desprezar sinais de alerta e não descuidar os rastreios de análises de rotina, tomando a medicação prescrita pelo médico.

artigo

58.

O perigo de ter o colesterol alto

Por fim, junte-se à comunidade Cardio 365º!

artigo
imprimir
anterior seguinte