Pub
Pub
artigo
imprimir

O calor afeta o coração?

Será que o calor afeta o coração? Se sim, que medidas devemos tomar? E quem estará mais em risco? Vamos aprofundar esse tema neste artigo.

O calor é um fator de risco cardiovascular. O nosso corpo tem diferentes reações perante temperaturas ambientais elevadas e existem sintomas a que todos devemos estar atentos para pedir ajuda médica imediata. O calor pode levar a desidratação e sudorese excessiva, fazendo com que o volume de sangue que circula no corpo humano diminua. Com a chegada das altas temperaturas, as artérias dilatam.

 

Tem-se verificado que em momentos de muito calor, o risco de mortalidade e de internamento por doenças cardiovasculares é até 5 vezes maior do que o habitual. E são as vagas de calor que levam a maior número de mortes, sendo que mais de metade deve-se a doença cardiovascular.

Quem mais sofre com o calor?

O designado «golpe de calor» pode afetar qualquer pessoa, mas o risco é maior no caso dos idosos com doença crónica. Assim sendo, deve-se estar particularmente atento quando estes apresentam aumento da frequência cardíaca, tensão arterial mais baixa ou sinais de desorientação.

 

Quando está mais calor, o corpo humano perde maior quantidade de líquido e sais minerais. Quando essas substâncias não são repostas adequadamente, o organismo tem dificuldade para funcionar, o que se manifesta por cansaço excessivo e diminuição da tensão arterial.

O que fazer nos dias de maior calor?

Nos dias de maior calor é de extrema importância manter-se sempre hidratado, evitar a exposição direta ao sol e fazer refeições leves, que exijam menos esforço do organismo durante a digestão. As altas temperaturas podem dar dor de cabeça, desconforto, desidratação, cansaço e podem aumentar o risco de morte precoce por problemas cardiovasculares.

 

Deve haver uma atenção redobrada com as populações dos grupos de risco (idosos e grávidas, por exemplo), que não devem fazer exercícios físicos sem uma avaliação médica prévia, assim como devem fazer uma alimentação equilibrada.

 

Outra recomendação importante é para doentes que fazem medicação diária. No verão, o calor e a humidade aumentam a perda de água e sais minerais através da transpiração e da respiração. Para evitar a desidratação, é preciso ingerir bastante líquido. A atenção deve ser redobrada em pessoas de maior idade e que tomam diuréticos. Pessoas hipertensas, que necessitam de controlar a tensão arterial com frequência, devem ficar atentas à tendência natural do corpo de baixar a tensão arterial durante o calor. Uma reavaliação médica durante o período de férias pode indicar a necessidade ou não de alterar a dosagem dos medicamentos.

artigo

267.

Existem variedades de chá boas para o coração?

Sinais de alarme

 

Por fim, deve ficar atento aos seguintes sinais nos dias de muito calor:

 

  • Dor no peito com irradiação para o braço esquerdo, costas ou queixo;
  • Sensação estranha na garganta;
  • Tontura ou dor de cabeça inesperada e inexplicada;
  • Aumento da frequência cardíaca.

 

Por fim, junte-se à comunidade Cardio 365º!

Referências
artigo
imprimir
anterior seguinte