Pub
Pub
artigo
imprimir

A vitamina D faz bem ao coração?

A vitamina D tem um papel fundamental na regulação do cálcio e dos fosfatos no organismo. Estes nutrientes são essenciais para manter os ossos, os dentes e os músculos saudáveis. Mas será que a vitamina D também faz bem ao coração? Leia o artigo para saber mais.

A vitamina D é essencial para a saúde dos ossos, dentes e músculos. Só a conseguimos obter através de uma conjugação de aporte através dos alimentos e exposição solar. Sempre que necessário, o médico poderá aconselhar um suplemento de vitamina D. Ultimamente, tem-se estudado o papel da vitamina D na saúde do coração.

Para que serve a vitamina D?

A vitamina D intervém em diversos processos do nosso corpo:

 

  • saúde e estrutura dos ossos e dentes
  • sistema imunitário, sistema nervoso e cérebro
  • regulação dos níveis de insulina e controlo da diabetes
  • impedimento do desenvolvimento de determinados genes envolvidos no cancro

 

Saúde dos ossos e dentes

 

A vitamina D está diretamente envolvida na regulação do cálcio e do fósforo no nosso corpo. Ambos são nutrientes vitais para a saúde dos ossos e dos dentes. O papel desta vitamina é o de estimular os intestinos a absorver o cálcio que obtemos da alimentação e por outro lado, recuperar o cálcio a ponto de ser eliminado através dos rins.

 

A deficiência em vitamina D causa raquitismo nas crianças. A característica mais evidente desta doença é o arqueamento das pernas, que ficam assim porque os ossos não são fortes o suficiente para suportar o peso do corpo, deformando-se.

 

Nos adultos, a insuficiência em vitamina D causa osteomalacia («ossos moles»), precisamente caracterizada pela fragilidade dos ossos, que são altamente quebradiços. Como consequência, ocorre também o enfraquecimento dos músculos. Outra doença bastante conhecida, causada pela falta de vitamina D é a osteoporose.

 

Nos idosos, vários estudos indicam que a vitamina D preserva ou até aumenta a densidade óssea e a força muscular, prevenindo as quedas e as fraturas ósseas.

 

Imunidade

 

Alguns estudos apontam para a possibilidade de a vitamina D ter um papel protetor do organismo, contribuindo para o reforço da imunidade. Outros dados parecem apontar para uma diminuição do número de alergias em crianças com um aporte adequado de vitamina D desde tenra idade.

Deficiência em vitamina D

Apesar de o corpo ter a capacidade de produzir esta vitamina, só o faz se existir exposição solar suficiente e se na alimentação se ingerirem as moléculas que lhe dão origem. Por isso, existem vários fatores que podem causar deficiência em vitamina D:

 

  • Peles mais escuras e utilização de proteção solar. O corpo produz vitamina D quando absorve radiação UVB, proveniente da luz do sol. As peles com mais melanina e a utilização de protetor solar com elevado fator de proteção, impedem a absorção desse tipo de radiação. No entanto, não se deve descurar o protetor solar! Este é fundamental na prevenção de patologias como o fotoenvelhecimento e o cancro de pele.
  • Utilização de roupa com muita cobertura. Usar roupas que tapam a pele, também impede a absorção da radiação e claro, a produção de vitamina D.
  • Localização geográfica e comportamento. Pessoas que vivem em países nórdicos (onde os dias são mais curtos), que trabalham durante a noite ou que passam muito tempo dentro de casa (idosos, acamados, etc.) apanham menos sol e são mais propensas a deficiências em vitamina D.
  • Gravidez.

 

Mesmo com a possibilidade da toma de suplementos, esta só deve acontecer quando indicada pelo médico. A melhor forma de fazer com que o corpo produza esta vitamina é apanhar pelo menos 10 minutos de sol por dia (com as devidas precauções). E, além disso, incluir ovos, peixes «gordos» (salmão, sardinha, carapau, atum), carnes vermelhas (com moderação), leite fortificado, queijo e fígado na alimentação.

artigo

325.

Quais os benefícios do peixe?

Sintomas associados à falta de vitamina D

 

  • doença/ infeção constante
  • fadiga
  • dores nos ossos e músculos
  • dificuldades de cicatrização
  • queda de cabelo acentuada

 

Complicações causadas pela falta de vitamina D

 

Acredita-se que o défice possa causar:

 

  • problemas cardiovasculares
  • doenças autoimunes
  • danos neurológicos
  • infeções
  • complicações com a gravidez
  • poderá contribuir para o desenvolvimento de determinados cancros como o da mama, próstata e cólon

 

No entanto os estudos são inconclusivos e é necessária mais pesquisa neste campo.

 

Nos últimos 10 anos, tem aumentado a deficiência nesta vitamina na população portuguesa. Isto está associado a:

 

  • estilos de vida mais sedentários, onde se passa mais tempo dentro de casa;
  • consciencialização sobre o cancro da pele, com respetiva utilização de proteção solar elevada (o que está muito bem);
  • aumento da prevalência de obesidade (a vitamina D fica «presa» nas células de gordura);
  • diminuição do consumo de peixes «gordos», leite e carnes vermelhas.

Vitamina D e o coração

Existem algumas suspeitas de que a falta de vitamina D está relacionada com o aparecimento de diversas doenças, como a cardiovascular. Mas, na verdade, os resultados dos estudos existentes até ao momento não são fortes o suficiente para estabelecer uma relação direta entre ambos. As últimas descobertas apontam mesmo para que a suplementação com vitamina D não tenha qualquer benefício na insuficiência cardíaca nem na saúde cardiovascular geral.

 

No entanto, esta vitamina é essencial à saúde, principalmente óssea, muscular e imune, tal como vimos acima. Num país como Portugal, abundam os peixes «gordos» e o leite fortificado e os ovos são de fácil acesso. Temos também um clima fantástico com imensas horas de sol por ano. Mesmo com proteção solar e responsabilidade, é possível apanharmos luz suficiente para «fabricarmos» a nossa vitamina D. 

 

De qualquer forma, é possível ter carência de vitamina D, muito devido aos estilos de vida atuais. Mas não tome suplementos sozinho! Só o médico poderá pedir e avaliar análises para determinar se tem falta desta vitamina. A ser precisa, ser-lhe-á prescrita uma dose de acordo com as suas necessidades. Afinal de contas, nem falta, nem excesso! Vitaminas a mais também não fazem bem. E quanto à saúde do coração, há outras medidas que pode tomar antes de recorrer a suplementos.

 

Por fim, junte-se à comunidade Cardio 365º!

artigo
imprimir
anterior seguinte