Pub
Pub
artigo
imprimir

Quando o cansaço é culpa do coração

O coração é o motor do nosso corpo. É ele que bombeia o sangue para todos os órgãos, alimentando-os e fazendo com que funcionem corretamente. Quando o coração tem algum problema, este pode manifestar-se através de diversos sintomas. Leia o artigo e entenda porque é que, por vezes, o cansaço pode ser culpa do coração.

Ultimamente anda mais cansado, sem razão aparente? Qualquer esforço, por mínimo que seja, exige demasiado de si? Isto pode dever-se a vários motivos. Pode ser algo simples como estar em baixo de forma. Mas também é possível que seja indicativo de anemia, alterações nos pulmões ou problemas no coração.

Coração, o motor da vida

O coração é um músculo que funciona como uma bomba, enviando sangue para todos os órgãos do nosso corpo. É, literalmente, o motor da vida. Afinal, é através do sangue que são transportados o oxigénio e os nutrientes que alimentam as nossas células e lhes permitem funcionar corretamente. Por outro lado, também é o sangue que transporta o dióxido de carbono e os produtos de excreção e os leva até aos pulmões, sistema linfático, fígado e rins para serem eliminados.

 

Além disso, o coração também precisa de se «autoalimentar». Fá-lo através das artérias coronárias. Estas são os vasos responsáveis por levar o sangue ao músculo do coração. Possui ainda um «sistema elétrico» próprio, responsável por coordenar todos os seus movimentos. Ou seja, pelos batimentos ou frequência cardíaca.

 

Ora, se alguma coisa deixa de funcionar corretamente, podem surgir sintomas como o cansaço ou fadiga.

Será o coração a causa deste cansaço?

O cansaço extremo é um dos sintomas de problemas no coração, como o bloqueio das principais artérias ou a insuficiência cardíaca. Esta é uma doença que afeta cerca de 400 mil portugueses e que acontece quando o coração não consegue:

 

  • bombear a quantidade suficiente de sangue para o resto do corpo;
  • relaxar corretamente para receber o sangue que regressa.

 

Isto não significa que o coração deixa de bater. Isso sim, que existem lesões no músculo ou nas válvulas, e o sangue deixa de ser bombeado como deve ser.

 

Mas afinal, porque é que problemas no coração nos deixam cansados?

 

Ora, quando o coração não consegue bombear corretamente, o sangue, carregado de nutrientes e oxigénio, não chega ao seu destino final: as células. Desprovidas de combustível, estas não conseguem cumprir as suas funções. Ao mesmo tempo, os produtos de excreção também não são eliminados corretamente, acumulando-se nos tecidos, onde não têm qualquer efeito benéfico, antes pelo contrário.

 

Como consequência, surge então um cansaço inexplicável. Músculos, tendões, pulmões, cérebro, ressentem-se da «má nutrição» e do «envenenamento» pela acumulação destas substâncias. E isso sente-se no nosso estado anímico.

 

Quando é que o cansaço deve ser motivo de preocupação?

 

Um cansaço frequente e sem razão aparente deve ser motivo de atenção. Pode indicar alguma causa subjacente.

 

Por isso, se:

 

  • está mais exausto do que o normal depois de fazer uma rotina de exercício físico à qual está habituado;
  • se sente cansado ou com peso no peito mesmo sem fazer qualquer esforço;
  • fica exausto ao executar tarefas simples como fazer a cama;
  • apesar do cansaço extremo, não consegue adormecer;
artigo

225.

O que precisa de saber sobre o ciclo do sono

e além disso, ainda tem outros sintomas associados, tais como:

 

  • sensação de ardor na garganta, semelhante a azia;
  • inchaço das pernas e tornozelos;
  • tonturas e desmaios;
  • falta de ar ou dificuldade em respirar, principalmente deitado;
  • sensação de coração acelerado (taquicardia).

 

É altura de consultar o médico. Mas claro, os sintomas de doença cardíaca podem-se confundir com os de outras doenças. Nem todo o cansaço é doença do coração! Só através de um questionário de saúde e da realização de exames de diagnóstico, feitos por profissionais habilitados, será possível despistar ou diagnosticar qual o problema associado. E já sabe: quanto mais cedo, melhor! Qualquer questão detetada no seu início tem muito mais hipóteses de controlo e de não evoluir para situações demasiado graves.

 

Oiça o seu corpo. Você sabe, instintivamente, quando algo não está bem. Não deixe passar demasiado tempo até consultar o médico. Peça uma segunda ou até uma terceira opinião se as primeiras não o tranquilizarem. E mesmo sem sintomas, não deixe de fazer um check-up anual. Não custa nada, e ignorá-lo, pode custar-lhe a vida.

 

Por fim, junte-se à comunidade Cardio 365º!

artigo
imprimir
anterior seguinte