Pub
Pub
artigo
imprimir

O que significa taquicardia

«Até fico com taquicardia!» – de certeza que já disse ou ouviu alguém dizer esta frase. Mas agora fora de brincadeiras: o que significa «taquicardia»? Pode ser perigosa para o coração? Porque é que acontece? Leia este artigo e fique a saber as respostas.

Para entender o que significa «taquicardia», comecemos por desconstruir o termo. «Taqui-» é um prefixo de origem grega que exprime a ideia de velocidade e rapidez. Já o sufixo «-cardia», neste caso, está associado ao coração. Assim sendo, temos a nossa primeira pista. Taquicardia significa, de um modo simples, «coração rápido». Ou seja, é um tipo de arritmia (ritmo anormal) onde a frequência cardíaca (ritmo ao qual bate o coração) está acelerada.

O ritmo do coração

O coração é um músculo. É quando o coração se contrai que o sangue no seu interior é bombeado para os pulmões e para todo o nosso corpo. Num coração saudável, esta contração dá-se de forma constante.

 

As contrações do coração são controladas por correntes elétricas. O ritmo cardíaco é determinado pela frequência com que o marca-passo (pacemaker) natural do coração descarrega estas correntes elétricas. Por sua vez, esta frequência é estimulada pelos impulsos nervosos e por hormonas específicas na nossa corrente sanguínea.

 

De uma maneira geral, um adulto saudável tem um ritmo cardíaco em repouso (sem fazer esforço) entre 60 e 100 bpm (batimentos por minuto). Quando este ultrapassa os 100 bpm, estamos na presença de um ritmo acelerado. Ou seja, diz-que que a pessoa está em taquicardia.

Conhecer a taquicardia

Causas

 

Sempre que fazemos exercício físico ou quando experimentamos algum tipo de stresse emocional, o nosso ritmo cardíaco acelera. Isto também pode acontecer em resposta a estímulos como o calor ou se acabamos de tomar um café, por exemplo. Este aumento do ritmo cardíaco ocorre de forma natural. Para os indivíduos saudáveis, não representa nenhum perigo. Nem é considerado um problema.

 

Já a taquicardia «patológica» (considerada uma doença do coração) pode ter causas:

 

  • primárias: quando não existe doença cardiovascular (que afeta o coração e os vasos sanguíneos). A origem está nas células responsáveis pela condução da corrente elétrica do coração. Nestes casos, a causa pode ser congénita (existe desde o nascimento) ou genética (devido a alguma anomalia nos genes).

 

  • secundárias: é consequência de uma doença cardiovascular pré-existente como o enfarte do miocárdio (ataque de coração).

 

Sintomas

 

Ao bater demasiado rápido, o coração pode não bombear sangue suficiente para o resto do corpo. Por isso, os órgãos não recebem o oxigénio necessário. Isto pode causar:

 

  • falta de ar
  • tonturas
  • sensação de palpitações
  • dor no peito
  • desmaio

 

Em alguns casos, a taquicardia não causa sintomas nem complicações. Só é descoberta durante um check-up médico ou através da realização de um electrocardiograma (exame médico que monitoriza o funcionamento do coração).

 

Quando não é tratada, acabará por interferir no funcionamento normal do coração. Pode levar à formação de coágulos que podem provocar:

 

 

Fatores de risco para a taquicardia

 

A idade ou história familiar de taquicardia ou de outras doenças cardíacas aumentam a probabilidade de desenvolver a doença. Por outro lado, como muitas vezes a taquicardia está associada à doença cardiovascular, os principais fatores de risco são os mesmos:

 

 

É possível prevenir a taquicardia?

 

Sim. A forma mais eficaz de prevenção é reduzir o risco de doença cardiovascular:

 

  • praticar exercício físico regularmente
  • adotar uma alimentação saudável
  • controlar a pressão (tensão) arterial
  • manter o colesterol < 190 mg / dL
  • controlar a glicemia
  • não fumar
  • moderar o consumo de álcool
  • limitar a ingestão de cafeína
  • não consumir drogas nem medicamentos sem prescrição médica
  • controlar os níveis de stresse

 

Se já tiver uma doença cardiovascular, é essencial que a mantenha vigiada. Consulte regularmente o seu médico e cumpra os planos de tratamento definidos por ele.

artigo

16.

Dicas para deixar de fumar

Tratar a taquicardia

 

O tratamento pode passar pela toma de medicação prescrita pelo médico ou até pela cirurgia. O objetivo será abrandar o ritmo cardíaco ou, noutros casos, controlar as causas secundárias da taquicardia. Para estas, adotar um estilo de vida mais saudável também pode ser benéfico.

 

Junte-se à comunidade Cardio 365º!

Referências
  • Dicionário Priberam

  • Manual MSD

  • Encyclopædia Britannica

  • American Heart Association (AHA)

  • SNS 24

  • Mayo Clinic

artigo
imprimir
anterior seguinte