Pub
Pub
artigo
imprimir

Factos e números sobre a doença cardiovascular em Portugal

As doenças cardiovasculares encontram-se em primeiro lugar na lista das causas de morte em Portugal. Fique a par dos números que a Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC) reuniu e faça o que está ao seu alcance para modificá-los!

Estes são os principais factos e números que fazem o retrato da doença cardiovascular em Portugal. Sobretudo, este é um alerta sobre a importância de prevenir as doenças cardiovasculares. Não deixe para amanhã. Cabe a cada um de nós contribuir para diminuir estes números.

Factos e números sobre a doença cardiovascular

Risco cardiovascular

 

 

Insuficiência cardíaca

 

  • 400 mil portugueses e 15 milhões de europeus são afetados por esta patologia que é uma das principais causas de hospitalizações em todo o mundo.
  • 1 em cada 25 pessoas não sobrevive ao primeiro internamento com o diagnóstico principal de insuficiência cardíaca.
  • 1 em cada 10 pessoas morre nos 30 dias após o internamento por insuficiência cardíaca.

 

Morte súbita cardíaca

 

  • 10 mil pessoas por ano, aproximadamente, são vítimas de morte súbita cardíaca. A prevalência desta situação é superior em faixas etárias mais elevadas. No entanto, também pode afetar jovens com doença cardíaca não diagnosticada e assintomática.
  • 20% das mortes, no geral, ocorrem de forma súbita.
  • 50% das mortes por doença cardiovascular, aproximadamente, são atribuídas a episódio de morte súbita.

 

Fibrilhação auricular

 

  • 200 mil portugueses, anualmente, são afetados por esta doença.
  • A fibrilhação auricular não tratada aumenta em 5 vezes o risco de acidente vascular cerebral (AVC).

 

Enfarte agudo do miocárdio

 

 

Acidente vascular cerebral (AVC)

 

  • O AVC é um dos principais fatores para as doenças do aparelho circulatório serem a primeira causa de morte em Portugal
  • 12 mil portugueses, por ano, são atingidos pelo AVC, de acordo com dados da DGS.
artigo

87.

Doenças cardiovasculares: 6 fatores de risco

Por fim, junte-se à comunidade Cardio 365º!

Referências
  • Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC)

artigo
imprimir
anterior seguinte