Pub
Pub
artigo
imprimir

O peso da inflamação na saúde do coração

Sabemos que o processo de inflamação está presente na aterosclerose e, por exemplo, na diabetes. Será que noutras doenças que são fator de risco cardiovascular também? Como é que a inflamação pode ter impacto no coração? Venha descobrir.

A inflamação é uma resposta normal do corpo contra ameaças.

 

A inflamação aguda ocorre quando temos lesões ou infeções, de forma a auxiliar o processo de recuperação. A crónica, por outro lado, pode desenvolver-se em resposta a uma exposição longa a substâncias não desejáveis, como as toxinas do fumo de cigarro e o excesso de gordura.

 

Mas será que influencia a saúde cardiovascular?

Como atua a inflamação?

Inclui uma série de eventos celulares e moleculares.

 

A inflamação crónica é importante para a saúde cardiovascular. Isto porque tem um papel importante no desenvolvimento de aterosclerose – placas de gordura, ricas em colesterol, que se acumulam dentro das artérias. O nosso organismo vê essas placas como corpos estranhos e por isso inicia uma resposta inflamatória contra estas. Por isso, pode promover a formação destas placas e depois fazer com que, com esta reação inflamatória, se libertem das artérias e originem coágulos sanguíneos – a causa mais comum de eventos cardiovasculares como o enfarte agudo do miocárdio e o acidente vascular cerebral (AVC).

 

Hábitos tabágicos, hipertensão arterial e colesterol mau (LDL) elevado podem causar inflamação tendo efeitos nefastos no coração.

artigo

82.

Como combater o envelhecimento celular pela alimentação

Assim, a inflamação tem uma importante ação a nível do coração. Tem-se vindo a provar também uma relação entre esta e a aterosclerose e a diabetes.

Como posso evitá-la?

Há algumas estratégias que ajudam a controlar a inflamação e que, ao mesmo tempo, diminuem o colesterol LDL do organismo, a pressão arterial e os açúcares no sangue – como vês, só vantagens!

 

  • Deixar de fumar – o tabaco causa dano nos vasos sanguíneos e promove a aterosclerose.
  • Manter um peso saudávelexcesso de peso aumenta o risco para inúmeras doenças. Em particular, a acumulação de gordura na zona abdominal (gordura visceral) liberta uma molécula que produz inflamação.
  • Fazer exercício físico regularmente – 20 minutos por dia pode ser suficiente para ajudar a diminuir a inflamação. Um grau moderado de exercício é suficiente para obter este resultado, como por exemplo andar numa passada rápida.
  • Ter uma alimentação saudável – a ingestão de frutos, vegetais, cereais integrais, leguminosas, frutos secos e peixe gordo tem efeito na inflamação. Devem ser evitados alimentos processados e fast food.

 

Contudo, atuar nestas vertentes é a melhor forma de reduzir a inflamação. No caso de ter um risco elevado de doença cardíaca, o seu médico pode prescrever medicação com função de melhorar o perfil de colesterol. A vigilância junto do seu médico assistente deve ser uma prioridade no sentido de controlar a sua saúde cardiovascular.

 

Mais informações? Junte-se à comunidade Cardio 365º!

Referências
  • American Heart Association

  • Hopkins Medicine

  • Harvard University

artigo
imprimir
anterior seguinte