Pub
Pub
artigo
imprimir

COVID-19 e saúde cardiovascular: dicas importantes

Será que quem tem uma saúde cardiovascular mais comprometida tem sintomas mais graves quando infetado pela COVID-19? Tudo indica que sim, por isso, conheça todos os cuidados que deve ter e nunca menospreze a sua saúde cardiovascular.

Há uma relação entre COVID-19 e saúde cardiovascular. Afinal, sabemos que a infeção pelo novo coronavírus pode revelar-se mais grave em doentes com a saúde cardiovascular comprometida. Não baixe a guarda e lembre-se de seguir as orientações das autoridades de saúde e de se manter em contacto com os médicos que o acompanham.

COVID-19 e saúde cardiovascular – Quem está mais susceptível?

É sempre importante não baixar a guarda e continuar a proteger-se a si e aos seus o melhor possível, respeitando as indicações da Direção-Geral da Saúde (DGS) e dos seus médicos:

 

  • Lave ou desinfete as mãos com regularidade
  • Mantenha-se a 2 metros de distância de outras pessoas
  • Pratique etiqueta respiratória e use máscara sempre que frequentar espaços públicos

 

Hoje, no entanto, gostaríamos de abordar a COVID-19 e a saúde cardiovascular. Até à data, continua a verificar-se que idosos com doença coronária ou hipertensão arterial são dos grupos mais vulneráveis ao desenvolvimento de sintomas graves aquando da infeção com o coronavírus. Outros fatores como enfarte agudo do miocárdio prévio ou insuficiência cardíaca e doenças cardíacas congénitas também apresentam risco acrescido com a COVID-19.

Não descure a sua saúde

Apesar de muitos recursos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) serem alocados à pandemia, não descure a sua saúde nem menospreze sintomas que possa vir a ter. Por isso, se sentir alguma dor aguda no peito que irradia para o braço esquerdo, dor de cabeça intensa ou outros sintomas de enfarte ou acidente vascular cerebral, não hesite em contactar o 112 para si ou para os seus.

 

Adicionalmente, mantenha numa zona visível (por exemplo, na porta do seu frigorífico) os contactos dos médicos que o acompanham, caso seja necessário durante uma emergência. Não se esqueça de perguntar ao seu médico se é possível fazer consultas telefónicas ou por videochamada e se ele estaria disponível para lhe esclarecer dúvidas, por exemplo, por mensagem. Assim evitará uma deslocação presencial ao hospital ou centro de saúde.

artigo

21.

COVID-19 e doenças cardio segundo um especialista

Igualmente, não se esqueça de vigiar o seu stock de medicamentos e assegure-se que tem quantidade suficiente para, pelo menos um mês, caso por algum motivo não possa sair de casa durante um período mais prolongado de tempo. Pergunte à sua farmácia se disponibiliza o serviço de entrega ao domicílio e, em caso negativo se existe alguma na zona que o faça.

E se eu desenvolver sintomas de COVID-19 sofrendo de doença cardiovascular?

Esteja atento aos sintomas como febre, tosse, falta de ar ou perda de olfato e contacte o seu médico ou ligue para a saúde 24 (808 24 24 24) e siga as orientações prestadas.

 

Caso algum membro do seu agregado familiar desenvolva sintomas ou esteja em isolamento certifique-se que essa pessoa está o mais isolada possível:

 

  • Garantam que permanece numa divisão separada;
  • Redobrem os cuidados de higiene e mantenham-se distantes do familiar potencialmente infetado, utilizando sempre máscara;
  • Não partilhem a mesa de refeição e certifiquem-se que a pessoa utiliza uma casa-de-banho distinta do restante agregado familiar ou em caso de só possuir uma casa de banho, certifique-se que é feita a desinfeção da mesma a cada utilização da pessoa infetada ou potencialmente infetada.

 

Pela doença cardiovascular ser um fator agravante no desenvolvimento de sintomatologia mais grave por infeção da COVID-19, não baixe a guarda e faça tudo ao seu alcance para prevenir a infeção.

 

Por fim, junte-se à comunidade Cardio 365º!

Referências
  • American Heart Association (AHA)

artigo
imprimir
anterior seguinte